som e iluminação para eventos rj

BAILE DO PEDRINHO: O cantor Pedro Victteri faz a cabeça da galera nos melhores Eventos da Cidade!

17/11/2017

 

Um bom Evento exige uma ótima ATRAÇÃO! 

 

O cantor Pedro Victteri  comanda o Baile do Pedrinho e tem feito todo mundo "cantar junto" nas melhores festas e Eventos do Rio de Janeiro.

 

Pedro Loureiro Rodrigues 36 anos é formado em Artes Visuais e Rádio, se especializou como locutor... Mas o carisma , a voz e a sua energia já tinham encontrado a "namorada perfeita", essa tal de música.

 

Com experiências por todo mundo: Esse é o nosso "Boeing do Pedrinho"  !

 

Bem-Vindos a bordo!

 

Pode descer até o chão e "viajar" no  BAILE DO PEDRINHO!

 ENTREVISTA.

 

1. De onde vem a sua relação com a música?

 

Comecei na música por acaso, em 1995 cantei em uma roda de amigos músicas dos Mamonas Assassinas e o violonista me convidou para fazer parte de uma banda cover, minha primeira reação foi dizer que não pois eu não era cantor. E ele disse que sim! Fiz um teste e fui aprovado a partir daí não parei.

 

2. Quais são as bandas, cantores e cantoras que te influenciaram no passado?

 

Mamonas Assassinas, meio óbvio! Djavan, Ed Motta e Flávio Venturinni foram os primeiros a serem muito escutados, depois comecei a ouvir muito The Police.

 

3. E na atualidade quais os artistas que te inspiram?

 

Hoje continuo gostando muito do Djavan, Gil, Caetano, Milton Nascimento. 

 

4. Quando e como você teve a ideia de fazer o Baile do Pedrinho?

 

Trabalhei 4 anos e meio no Club Mediterranée e tive a oportunidade de morar e conhecer lugares como Turquia, Barbados, Guadalupe, Suriname e muitos outros países na Bahia morei por 2 anos, absorvi muitas culturas! Com isso tive que ampliar meu repertório de 2h pra quase 15h ou mais. Assim que saí do Resort procurei continuar na música mas dentro de algo que deixasse as pessoas MUITO FELIZES e pensei em fazer uma banda para casamentos, pois é um dia especial onde todos estão comemorando a felicidade, então em 2014 me lancei no mercado de casamentos com repertório variado, alegria e diversidade cultural que adquiri.

 

 5. Qual o lugar mais esquisito que você já tocou?

 

Foi no Delta de um rio em Granada. Pra chegar lá tinha que pegar um barco e ir até um local isolado com muita vegetação e apenas um bar que os turistas visitavam pra provar uma bebida local que só vendia lá. Por acaso era o dia do meu aniversário! Então, cantava pra recepcionar as pessoas as cada meia hora, quando o dono do local descobriu que era meu aniversário preparou uma galinha ao molho pardo e me deu a pata da galinha pra comer, que segundo ele era a melhor parte, não pude recusar, foi bem esquisito a situação (risos). Locais onde já toquei são diversos, até um com o palco furado e em cima de marquise já cantei.

 

6. Qual a maior dificuldade em viver de música no Brasil?

 

Aceitação ao novo, infelizmente a massificação faz com que as pessoas "só gostem" daquilo que toca muito em todos os lugares. Então acabam escutando as mesmas coisas sempre. Precisamos aceitar o novo sem desconfiar.

 

 

7. Quando você decidiu fazer os seus Shows em festas e eventos?

 

Sempre fiz shows em festas e eventos. Mas dedicação aos casamentos, começou em 2014

 

8. Me diga três motivos para eu não perder o próximo Baile do Pedrinho?

 

Animação MAXIMA, dançar sem parar e dormir com a sensação de que você se divertiu muito e quer mais BAILE DO PEDRINHO.

Já ouvi de alguns noivos: "Vamos  casar de novo só pra ter o Baile do Pedrinho!"(risos).

 

9. Por que devo te contratar para cantar na minha festa?

 

O Baile do Pedrinho é um projeto orgânico. A gente se conecta com o contratante, busca saber a história, como começaram, como seguem a vida, o que eles gostam de ouvir. Com isso a gente tenta montar uma festa adequada aos noivos e seus convidados e não temos um repertório "engessado". Podemos mudar de Claudinho e Buchecha pra Alok  de uma hora pra outra. Você vai ver sua pista sempre cheia!

 

10. Qual Evento que você mais curtiu tocar até hoje?

 

Todo evento eu curto tocar. Pq cada evento é diferente e tem sua particularidade. Mas, se falarmos mais marcante, foi o reveillon de Niterói,  tinham quase um milhão de pessoas.

 

11. Você também toca músicas autorais ou trabalha apenas como interprete?

 

Pretendo lançar em breve um trabalho só autoral, também gosto de criar minhas próprias canções.

 

 12. Onde pretende chegar com a música?

 

No coração e na boa lembrança do maior numero de pessoas que eu conseguir atingir positivamente com minha arte.

 

13. Para você, quais os principais pontos que uma Empresa de Evento deve se

preocupar ao oferecer uma estrutura para o seu Show?

 

Segurança vem sempre em primeiro lugar, sonorização de Qualidade e humanizar o atendimento. Tratar como pessoas e não como objetos, ter zelo, um lugar pra descansar, se preparar, se alimentar. 

Se a banda estiver feliz, não tem como o evento dar errado.

"O luar, estrela do mar

O sol e o dom, quiçá, um dia a fúria
Desse front virá lapidar
O sonho até gerar o som
Como querer Caetanear o que há de bom!" (Djavan).